Chalita aclama Dilma, mas Ciro nega ter desistido da Presidência

Alvo de uma nova ofensiva comandada pelo Palácio do Planalto para que retire sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto, o deputado Ciro Gomes (PSB) negou neste sábado, 10, que esteja prestes a firmar um acordo para integrar uma coligação de apoio à ex-ministra Dilma Rousseff. A negativa foi feita por telefone, no mesmo momento em que o vereador Gabriel Chalita (PSB) aclamava a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, durante um ato com sindicalistas no ABC paulista.

"No que depender de mim, eu continuo candidato", afirmou Ciro. Pré-candidato ao Senado, Chalita circulava em rodas de petistas na área vip, minutos antes do início do ato. Na cerimônia, teve direito a um assento na mesa de autoridades e não economizou nas palmas à pré-candidata petista. "Chalita pode bater palmas para quem ele quiser. Eu não me incomodo", minimizou Ciro.

O deputado confirmou que conversou nos últimos dias com a cúpula do PSB sobre a manutenção de sua pré-candidatura. Disse ter insistido no argumento de que sua entrada na disputa é essencial para o País. "Eu disse claramente três coisas ao comando do meu partido. Primeiro, quero ser candidato, mas não se trata de brigar com ninguém. Segundo, acho que minha participação na disputa é essencial para o País e para o partido. Terceiro, enxergo na minha candidatura um imperativo moral", disse Ciro, em conversa por telefone.

Questionado, Ciro negou que esteja incomodado com a pressão do Planalto, que já estuda a possibilidade de lhe oferecer um ministério estratégico em um eventual governo de Dilma. "Não se trata de pressão, todos estão conversando claramente. O fato é que, até agora, não há nenhuma novidade em relação às conversas que tivemos anteriormente.

 

Estadão

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.