Castilho assume campanha contra a nomeação de Inaldo por Lula

O secretário de Articulação Governamental e presidente do PT de João Pessoa, Anselmo Castilho, declarou ontem ser contra a cessão do procurador Inaldo Leitão, ex-deputado federal, para assumir uma assessoria no Ministério das Relações Institucionais da Presidência da República. O convite para Inaldo assumir o cargo partiu do ministro Alexandre Padilha e foi noticiado em primeira mão pelo Jornal da Paraíba.

Anselmo Castilho confirmou que foi consultado pelo procurador do Estado, Edísio Souto, e se posicionou contrário pelo fato de Inaldo ter uma posição favorável ao governador José Serra (PSDB) e fazer oposição ao governo José Maranhão (PMDB).

“Manifestei minha posição contra à cessão do procurador, não por uma questão pessoal, mas por sua posição política, porque todo mundo sabe do posicionamento declarado dele em favor de José Serra e contra o governo Maranhão”, resumiu Castilho,  sem querer se estender no assunto alegando estar em uma reunião em Brasília.

O procurador-geral do Estado, Edísio Souto, que também se encontrava em Brasília, preferiu não opinar sobre a cessão de Inaldo Leitão para o ministério alegando que essa é uma resposta privativa do governador José Maranhão. “O que posso dizer é que hoje temos um quadro deficitário de procuradores no Estado, mas a palavra final é do governador”, explicou.

Edísio Souto estranhou o fato de até o momento o governador do Estado não ter recebido nenhum comunicado do Ministério das Relações Institucionais solicitando a cessão do procurador Inaldo Leitão para que possa ocupar um cargo federal.

“Concretamente o governo não recebeu nada, mesmo após quase 30 dias da informação de que Inaldo Leitão seria nomeado para um cargo no Ministério das Relações Institucionais”, explicou.

Inaldo – O ex-deputado federal Inaldo Leitão, que recentemente se filiou ao PSB, afirmou desconhecer algum tipo de veto ao seu nome dentro do governo do Estado. “O próprio procurador Edísio Souto, em conversa que tive com ele, concordou sobre a cessão. Não há razão alguma para isso, até porque não há precedente na história do Estado de que alguém tenha sido vetado para não ocupar um cargo federal”, explicou.

Ele rebateu informação de Anselmo Castilho de que apoia a candidatura de José Serra garantindo que passou quatro anos na base do governo Lula quando filiado ao PR e assim continuará após a filiação no PSB. “Sigo a orientação do meu partido que pode lançar a candidatura a presidente de Ciro Gomes ou apoiar a candidatura da ministra Dilma Rousseff. Agora pode ter certeza que se fosse aliando de Serra não aceitaria o convite para compor o governo Lula”, completou.

Inaldo afirmou que repassou para o ministro Alexandre Padilha a situação política do Estado em que os partidos da base do governo Lula deverão estar em palanques diferentes na disputa majoritária da Paraíba.


Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.