Cássio tem contas de 2007, 2008 e 2009 aprovadas

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) teve aprovadas por unanimidade, pela Assembleia Legislativa da Paraíba as suas prestações de contas dos períodos 2007, 2008 e 2009, (até o dia 17 de fevereiro).

No que diz respeito ao ano de 2007, o relator foi o estão deputado Dunga Junior que acompanhou o Parecer do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba que concluiu pela “regularidade das ações referentes ao exercício financeiro daquele ano sob a responsabilidade do estão governador Cássio Cunha Lima”. O voto do relator não teve nenhum voto contrário à sua aprovação.

Com relação ao ano de 2008 o relator foi o deputado Hervázio Bezerra que também opinou pela aprovação do Parecer do Tribunal de Contas do Estado e foi seguido pelos demais membros da Comissão de Acompanhamento e Controle da Execução Orçamentária.

No seu voto, o relator informou que a aprovação se dava após “detida análise de todas as peças que integram o Processo” e que não tinha como contrariar, divergir ou contradizer as conclusões do Tribunal de Contas do Estado e que “diante de todo o exposto, opinou definitivamente pela aprovação das contas do governo da Paraíba sob a responsabilidade do ex-governador Cássio Cunha Lima naquele ano.

No Parecer que opinou pela aprovação das contas de Cássio Cunha Lima relativas ao exercício financeiro de 2009, especificamente no período que vai de 01 de janeiro até o dia 17 de abril, o relator, deputado Frei Anastácio, anotou que “diante do contexto, consubstanciado no Parecer prévio do Tribunal de Contas”, opinaria pela aprovação das contas do período no que foi seguido pelos demais membros da Comissão da Assembléia que tem o dever de acompanhar mais detidamente as contas públicas do estado.

O senador Cássio Cunha Lima declarou que estas votações se somam e se cumpre um ciclo de aprovação de todas as suas contas como executivo público em três administrações como prefeito de Campina Grande, duas como governador da Paraíba e ainda a aprovação das suas contas como superintendente da Sudene.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.