Cássio anuncia candidatura do PSDB ao Governo da Paraíba

O senador Cássio Cunha Lima já admitiu, na prática, no início da tarde de hoje, sua pré-candidatura ao Governo do Estado. Sem personalizar a disputa, durante uma entrevista coletiva concedida depois do encontro estadual do PSDB realizado na AABB de Campina Grande, ele disse que as consultas feitas aos filiados confirmaram a decisão pela candidatura própria. "Se meu nome for o escolhido, estou pronto para concorrer. Sabemos que pesquisas não ganham eleição, o que ganha eleição é um povo livre. Eu prefiro ser querido a ser temido", declarou.
 
Apesar de dar como certa a candidatura própria, o PSDB manterá a agenda de encontros estaduais e ainda reunirá os filiados dois outros municípios da Paraíba: Conceição e Pombal.
 
"Os encontros em Patos, Guarabira, Mamanguape e Campina Grande já ouviram a maioria e o PSDB deliberou pela candidatura própria ao Governo, mas vamos manter os demais encontros porque temos outros temas a debater e queremos levar essa discussão a outras cidades da Paraíba", disse Cássio.
 
Em seu discurso, o senador fez críticas ao atual governador, dizendo que muitas obras não sairiam da ordem de serviço, afirmou que a atual gestão teria como lema "o quero, mando e posso" e rechaçou as críticas feitas pelo governador aos deputados de oposição na Assembleia Legislativa: "Eles não são golpistras e têm mesma legitimidade do voto".
 
Ao ser questionado se estaria arrependido por ter celebrado uma aliança com o PSB em 2010, Cássio respondeu: "Não é uma questão de arrependimento. Quando fizemos a aliança com Ricardo, era em cima de uma carta compromisso. Depois de três anos participando do governo e garantindo a responsabilidade, o partido decidiu sair do governo e fazer essa consulta e os filiados assinaram embaixo que não avalizam esse governo que tem assinaturas repetidas de obras de serviço e as obras não acontecem, o desrespeito à UEPB… em síntese, não assinamos embaixo do governo de Ricardo".
 
Mágoas – Cássio negou ter mágoas com ex-aliados políticos antigos como Rômulo Gouveia, Manoel Ludgério e Adriano Galdino, todos já declaradamente ao lado da reeleição de Ricardo Coutinho: "As pessoas têm direito de fazer suas escolhas. Eles fizeram escolhas políticas e são autônomos. Cabe a mim respeitar as decisões. Vamos para o embate e nele quem decide é o povo. Não tenho mágoa, mas respeito pela opção que fizeram depois de muito tempo de convivência que será guardado no meu coração".
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.