Candidata ao Governo admite que PCO não consegue sequer eleger vereador

Com sua habitual sinceridade, a professora Lourdes Sarmento, candidata do PCO ao Governo da Paraíba, admitiu hoje que seu partido não teria condições sequer de eleger um vereador no Estado. Segundo ela, sem conseguir esse coeficiente mínimo, o PCO usa as campanhas majoritárias como estratégia para divulgar suas ideias e para chamar a atenção dos trabalhadores para sua proposta. Em entrevista ao programa Rede Verdade, da TV Arapuan, ela também revelou que em 2012 poderá disputar uma vaga à Câmara Municipal. Enquanto isso, vai dar continuidade à estratégia de busca da visibilidade da legenda:

– Nós ainda não conseguimos sequer, mesmo que fosse eu, ainda hoje, teríamos que lutar muito para que pudesse ganhar como vereadora. Então, diante de uma situação que não ganhamos nem para cargos majoritários, nem para vereador, nem para deputado estadual ou federal, o melhor é fazer a propaganda do partido e construi-lo a partir da propaganda. A lei ainda não tirou o Partido da Causa Operária, apesar de nos restringir bastante. A gente não participa, não tem o mesmo tratamento, mesmo assim a gente aproveita a campanha eleitoral para divulgar o partido e para chamar os trabalhadores a construção de um partido operário.

A candidata do PCO ao Governo fez ainda uma surpreendente crítica à Lei Ficha Limpa, de iniciativa popular. Segundo ela, a vedação de candidaturas de políticos "ficha suja" não passa de uma encenação para simular uma resposta ao clamor da sociedade por punição aos corruptos:

– Por que o interesse da burguesia de aprovar o Ficha Limpa? A lógica do sistema capitalista não foi superada. Eles apenas criaram alguma coisa para driblar a essência. Aproveitaram o clamor, mas não vai mudar nada.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.