Campina Grande tem 2º maior PIB entre cidades com mais de 200 mil habitantes no interior do Nordeste

Campina Grande tinha o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) entre as cidades do interior do Nordeste, com mais de 200 mil habitantes, em 2017, de acordo com dados do PIB dos Municípios. As informações foram divulgadas pelo IBGE no fim do último ano e compiladas em homenagem ao aniversário de 156 anos da “Rainha da Borborema”, comemorado neste domingo (11).

Na comparação com cidades desse porte, o valor campinense, que foi de R$ 8,648 bilhões em 2017, ficou abaixo apenas do registrado para Feira de Santana, na Bahia, de R$ 13,657 bilhões. A terceira colocada foi Caruaru, em Pernambuco, com R$ 6,877 bilhões.

Tendo em vista todo o produto interno bruto da Paraíba, o PIB de Campina Grande teve participação de 14% no total, a segunda maior entre as cidades do estado. O município tem mantido essa colocação desde o início da série história, em 2002.

Contudo, no comparativo entre valores nominais do PIB, sem descontar a inflação dos anos considerados, o município tem perdido posições no cenário nordestino, se consideradas as capitais, cidades que fazem parte das regiões metropolitanas dessas e as de menor porte. Em 2002, ocupava a 13ª colocação, ao passo que em 2017 ficou na 17ª. Uma tendência similar foi observada no ranking nacional, em que passou do 114º para o 119º lugar, no mesmo período.

Em relação ao crescimento nominal do PIB, que não leva em consideração a inflação registrada ao longo dos anos, Campina Grande registrou variação positiva de 384,9%, de 2002 a 2017. Embora tenha sido um pouco menor do que a alta verificada no valor estadual (389,45%), esse aumento ficou acima do constatado para a capital paraibana (375,3%), no mesmo intervalo.

Ainda segundo o PIB dos Municípios, o principal setor econômico campinense era o terciário que, com as atividades de comércio e serviços em geral, aumentou sua participação ao longo do período analisado, chegando a 46,5% do valor adicionado da economia da cidade, em 2017. O setor secundário, que envolve a indústria da transformação, ocupava a segunda posição, com participação de 20%, embora tenha apresentado queda frente aos resultados dos anos anteriores. Por sua vez, o setor primário, que envolve atividades de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, teve a menor participação dos segmentos, de 0,2%.

Já o PIB per capita de Campina Grande, que resulta da divisão do produto interno bruto pelo total estimado de habitantes, registrou alta nominal, sem o desconto da inflação, de 331,2%, de 2002 a 2017. Enquanto isso, o indicador estadual teve aumento nominal de 324,9%, ao passo que o da capital foi ainda menor, de 267,1%. Entretanto, como o indicador considera o tamanho da população para o cálculo, essas diferenças nos percentuais podem ser explicadas, em parte, pela menor taxa de crescimento populacional campinense (13,2%), se comparada à estadual (15,2%) e à de João Pessoa (31,1%).

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.