Câmara quer convencer clientes a não usarem celular em bancos

Distribuir cópias da lei que proíbe o uso de aparelho celular e determina a instalação de painéis entre os caixas e filas nos bancos; cobrar dos órgãos competentes uma operação de fiscalização urgente para que a lei, que já está em vigor, seja colocada em prática em todas as instituições financeiras da Capital; e realizar campanhas de conscientização. Essas três medidas foram definidas, nesta quarta-feira (20), durante sessão especial que a Câmara Municipal de João Pessoa realizou para discutir a lei que dificulta ação dos criminosos que adotam a chamada “saidinha de banco”.

Parlamentares e autoridades se revezaram na tribuna da Casa para destacar a importância da lei e cobrar das direções das agências bancárias da Capital mais segurança no interior dos estabelecimentos, melhoria na prestação dos serviços e um atendimento mais rápido para a clientela.

O vereador Jorge Camilo (PT) fez questão de elogiar a iniciativa do Legislativo e comentou que, além de criar a lei, o presidente Durval Ferreira (PP) está preocupado também em cobrar dos órgãos competentes que ela seja aplicada.

O vereador Benílton Lucena (PT) acredita que a medida vai garantir mais segurança aos clientes nas agências bancárias. Quanto à proibição do uso de celular no interior dos estabelecimentos, Benílton disse que não haverá dificuldade nenhuma dos clientes se adequarem à proibição. “É questão de conscientização. A sociedade vai entender que isso é para sua segurança. Ou então vão correr o risco de serem roubados”, ressaltou.

O secretário-geral do Sindicato dos Bancários, Marcos Henriques, disse que a lei é bastante positiva e vai beneficiar, exclusivamente, os usuários dos bancos. “Toda lei que vem beneficiar os clientes e usuários de bancos são sempre bem vindas”, afirmou. Marcos entende, no entanto, que tem que ser implanta uma política pública de segurança nos bancos mais abrangentes. Ele acredita que o atual plano de segurança dos bancos é altamente defasado e feito na abertura das agências.

“Nós apoiamos essa lei. É importante. Já tivemos, inclusive, várias audiências no Procom e também discutimos com os bancos como a lei deveria ser implantada na cidade”, informou.

O presidente da Casa, vereador Durval Ferreira, autor da lei e responsável pela sessão especial, declarou que a medida, sendo executada com urgência, vai com certeza dar mais tranqüilidade e segurança aos clientes e funcionários das agências bancárias. Para Durval, a lei dificulta, e isso já está comprovado, que os clientes sejam assaltados e roubados ao saírem dos bancos.

A sessão contou com a presença dos delegados Isaías Olegário, presidente do Sindicato dos Delegados; Getúlio de Lira Machado, representando o secretário da Segurança Pública do Estado, Gustavo Gominho; Marcos Vasconcelos, da Roubos e Furtos; Cristiane Medeiros, assistente regional da Superintendência da Caixa Econômica; Jussara de Souza, gerente executiva do Banco do Nordeste; e Alexandre Varandas, segundo-promotor de Justiça, representando a procuradora-geral do Estado, Janete Ismael; além de advogados e assessores.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.