Câmara estuda comprar detector de aparelhos de escuta ambiental

Brasília – Depois do Senado, a Câmara também analisa a compra de um equipamento para identificar escutas nos gabinetes dos deputados e órgãos da Casa, como o plenário.

O aparelho de R$ 160 mil, chamado Oscor Green, já foi comprado pelo Exército e é apontado como a última novidade em contraespionagem.

O Senado chegou a aprovar a compra, mas desistiu após o jornal "Correio Braziliense" revelar a disposição.

A Polícia Legislativa, que atua na Câmara, diz que a aquisição irá "tornar mais seguro o ambiente de trabalho dos senhores parlamentares".

A proposta, a qual a Folha teve acesso, afirma que o aparelho localiza "os dispositivos clandestinos de espionagem" e detecta "temidos microfones que atuam pelo lado externo nas janelas do prédio alvo".

O primeiro-secretário da Câmara, Eduardo Gomes (PSDB-TO), disse que vai pedir ao departamento jurídico um parecer que indique se a Casa tem a atribuição de fazer esse tipo de monitoramento – inicialmente, competência da Polícia Federal.

Depois disso irá decidir se autoriza a compra. Não há legislação sobre o assunto.

Segundo Gomes, a medida seria preventiva. Não há relatos de que gabinetes tenham sido grampeados.

O equipamento, fabricado pela Research Eletronics International, não capta grampo telefônico nem gravador de bolso, apenas escutas ambientais.

 


Folha de S. Paulo

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.