Câmara debate retorno de paraibanos que foram trabalhar na Sadia

Reivindicações dos trabalhadores paraibanos da empresa Sadia instalada no Mato Grosso e o lançamento da Frente Parlamentar de Combate à Homofobia foram os temas tratados na reunião da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), na manhã de hoje, na Sala de Reuniões da presidência da Casa.

A Frente Parlamentar será lançada no dia 4 de novembro, na CMJP, a partir das 15h, em uma sessão solene que contará com a presença de autoridades e dos representantes do Movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) da Capital. Logo após a solenidade no plenário, haverá uma comemoração no estacionamento da CMJP, que contará com shows de diversos artistas da cidade.

De acordo com a presidente da CCDH, vereadora Sandra Marrocos (PSB), a Frente será composta por representantes dos partidos que compõem a CMJP e dos grupos do Movimento GLBT.

Na reunião desta sexta-feira, a presidente da Comissão também informou as diretrizes do encontro ocorrido na tarde da quinta-feira (22) com os trabalhadores paraibanos da empresa Sadia, instalada na cidade de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. Os trabalhadores alegam descumprimento de contrato de trabalho por parte da empresa.

A vereadora informou que haverá um outro encontro, mediado pela Comissão, na próxima segunda-feira (26), com um diretor-técnico da empresa e com uma assistente social, que vêm a João Pessoa para verificar as reivindicações dos empregados que já estão de retorno à cidade.

“Essa sindicância é fruto da ação da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de João Pessoa que vem batalhando desde o primeiro momento que recebemos as reclamações desses trabalhadores. Já avançamos muito”, enfatizou a presidente da CCDH.

A vereadora Sandra Marrocos e os vereadores Tavinho Santos (PTB) e Pastor Edmílson (PRB) irão à cidade de Lucas do Rio Verde para uma verificação ‘in loco’ dos questionamentos dos empregados da Sadia.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.