Câmara debate intolerância religiosa

A diversidade religiosa entrou em pauta na tarde de hoje no Plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), durante a sessão especial de combate à intolerância religiosa, numa propositura do Mandato Popular representado pela vereadora Sandra Marrocos (PSB), em parceria com o grupo “Videlicet Religiões – História, Imaginário e Intolerância”.

Da tribuna da Casa de Napoleão Laureano,  Sandra Marrocos afirmou a importância da sessão especial. “Estamos vivenciando um momento histórico nesta casa legislativa, pois é a primeira vez que acontece uma sessão especial pautando o tema da intolerância religiosa, e eu fico muito emocionada em poder contribuir com este momento, pois, somente nos últimos anos, vivenciamos ou fomos testemunhas de diversos casos e situações  que ferem a liberdade, o respeito e a democracia, nas escolhas  e identificações das entidades e expressões religiosas, ou seja, da fé das pessoas”.

Adiante, Marrocos completou. “Um desses fatores foi notório durante o processo eleitoral, tanto no âmbito estadual como no nacional, onde alguns grupos políticos tentaram desqualificar candidatos (as) por apoiarem a multireligiosidade das pessoas ou fazerem parte de determinadas religiões, a exemplo das religiões de matriz africanas, que na minha opinião, foram as mais atacadas neste processo”.

O Coordenador do grupo de pesquisa “Vidalicet Religiões”, revelou a construção de um processo continuado de combate à intolerância. “O que temos hoje é resultado de uma ação que vai além das fronteiras da universidade e reafirmamos a importância do dia 21 de janeiro, que é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, surgido há alguns anos no Terreiro de Mãe Gilda, em Salvador, quando a mesma sofreu fortes constrangimentos públicos e depois chegou a falecer em decorrência de problemas resultantes de atos preconceituosos”.

O Presidente da Federação Espírita Paraibana, José Raimundo de Lima, ressaltou a importância do evento. “A nossa luta é pela paz e hoje abre-se a oportunidade para que as pessoas sejam respeitadas e que se avance no combate ao preconceito”.

Presenças – A sessão, presidida pela parlamentar socialista Sandra Marrocos, foi secretariada pelo vereador Jorge Camilo (PT) e contou com a presença de representações de diversas entidades e igrejas, além de militantes dos movimentos sociais, educadores (as), professores (as) e estudantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a exemplo de  Danilo Santos, do grupo de Estudantes Negros da UFPB; Almir Laureano, do Movpaz; a Professora de Ensino das Religiões, Ana Paula; a representante da Secretaria Municipal de Educação, Maira José; a Mãe de Santo,  Marinalva da Silva; José de Olinda Campelo, da Igreja Anglicana; Israel Pereira, Reverendo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil; Vanízia Cavalcante, do centro de Cultura Afro Brasileira Ilê Axé Omidwá; Luciano Bezerra, do Fórum LGBT da Paraíba; Solange Rocha, da Bamidelê; Sandro de Juíca, do Quilômbo Cultural Malunguinho, de Pernambuco; Ednalda de Oliveira, do Ilê-axé xangô agodô e Janine Coelho, representando o Pró Reitor da UFPB, Luis Renato.

Na ocasião, o grupo “Videlicet Religiões – História, Imaginário e Intolerância”, coordenado pelo professor Carlos André Cavalcante, distribuiu um documento solicitando a criação do “Fórum Paraibano da Diversidade Religiosa” e registrando datas importantes como o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, ocorrido no dia 21 de janeiro, e a Semana Mundial de Harmonia Entre as Religiões, da Organização das Nações Unidas.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.