Câmara de João Pessoa aprova Voto de Solidariedade à advogada Myriam Gadelha

O Plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) aprovou, por unanimidade, um Voto de Solidariedade apresentado pelo vereador Lucas de Brito (PV) à advogada Myriam Gadelha. O parlamentar explicou que a advogada teve o direito à palavra cerceado durante uma Sessão Especial alusiva ao Dia Internacional da Mulher, realizada na Câmara Municipal de Sousa na última sexta-feira (8).

“Em dezembro de 2018, Myriam foi vítima de agressões praticadas por seu ex-namorado e fez sua inscrição para falar no evento, mas a Mesa Diretora ou o presidente resolveram, antes de chegar a vez dela, finalizar a solenidade, cerceando seu direito de expressão”, disse Lucas. O parlamentar referiu-se às denúncias de agressões físicas e verbais praticadas, segundo as informações, pelo prefeito da cidade de Sousa, Fábio Tyrone (PSB).

Sobre a decisão do Plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), o parlamentar comemorou. “O parlamento de Sousa cassou a palavra de uma mulher no dia em que se comemorava uma data importante. A Câmara de João Pessoa esteve atenta a esse fato e se posicionou muito claramente que repudia a violência contra a mulher sob todas as suas formas”. Ainda na avaliação de Lucas, a expectativa é que o Voto chegue como um recado de que a sociedade não admite esse tipo de violência.

Segunda vez – Lucas de Brito já havia apresentado um Voto de Solidariedade à advogada Myriam Gadelha em dezembro do ano passado, após agressões físicas e verbais sofridas por ela. Na ocasião, o requerimento também foi aprovado por unanimidade. O vereador também aproveitou o debate sobre o tema para ressaltar a importância de fortalecer o registro sobre os índices de violência contra a mulher na Paraíba, com maior divulgação do no número da Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180), serviço da Secretaria de Políticas para as Mulheres, ligada ao Ministério dos Direitos Humanos (MDH).

Comentários