Câmara de Cabedelo debate detalhes das obras de dragagem no Porto

O diretor presidente da Companhia Docas da Paraíba, que administra o Porto de Cabedelo, participou na noite desta quinta-feira (18), na Câmara de Cabedelo, de uma audiência pública onde deu detalhes sobre as obras de dragagem do terminal e dos avanços conquistados pelo Porto na atual gestão. A propositura da sessão especial foi do vereador Josué de Góes (PDT) que considerou importante as explicações dadas em relação a dragagem e reconheceu o compromisso do gestor com o desenvolvimento do Porto paraibano.

Acompanhado de profissionais que integram o corpo técnico do Porto de Cabedelo, composto por engenheiros e técnicos responsáveis pela fiscalização ambiental (empresa G2), estrutural (empresa Interpa), além de outros profissionais da Companhia, Wagner deu, aos vereadores e membros da comunidade portuária que acompanharam a Audiência Pública, uma explanação clara e precisa sobre o andamento das obras de dragagem, além de mostrar a evolução da profundidade do calado que deve chegar a 11 metros até março de 2011.

Uma das dúvidas colocadas pelos vereadores durante a audiência foi sobre a distância da “cortina” do cais em que está sendo feita a dragagem e quais as soluções estruturais para proteger a parede do cais. Quem respondeu aos questionamentos foi o engenheiro da Interpa, Paulo Valdez, que é responsável pelo monitoramento da obra. “A obra esta sendo executada a sete metros de distância da cortina do cais, isto é motivo de tranqüilidade e segurança para dragagem, quanto a isso os senhores e a comunidade portuária não precisam se preocupar”, explicou o engenheiro, complementando sua argumentação com gráficos e projeções.

Outra questão levantada pelos parlamentares foi em relação a área de depósito dos resíduos retirados pela dragagem. Muitos vereadores questionaram, além de membros da comunidade, se eles não estão sendo despejados na entrada do cais do porto, o que poderia prejudicar a entrada de grandes navios quando a maré estivesse baixa, fato este que já aconteceu em gestões anteriores. “Quero mais uma vez tranquilizar os senhores em relação a esta obra que teve o projeto assinado e aprovado por pessoas do mais alto gabarito que planejaram com antecedência onde seria depositado os resíduos. Além disso, antes mesmo do projeto ser aprovado, a própria área de despejo já estava autorizada e apta para este fim”, esclareceu o gestor do Porto de Cabedelo.

O técnico Paulo Frazão, da empresa G2, responsável pelo acompanhamento ambiental da obra, complementou as informações, explicando que são utilizadas várias ferramentas para fiscalizar as ações da draga, a exemplo do monitoramento 24h da movimentação do equipamento, com sondagens e relatórios fotográficos e de ocorrências, além de um diário de obra, Wagner ainda se comprometeu em fazer, quantas checagens mais fossem possíveis, para tranqüilizar a sociedade e a comunidade portuária.

“Estou muito a vontade em estar aqui e ser argüido sobre as ações e projetos da atual gestão. Já que surgiu essa dúvida, apesar de todos os monitoramentos que fazemos, quero me comprometer aqui em fazer uma fiscalização in loco do nível de profundidade na entrada com um representante da Câmara, da sociedade, dos técnicos, também farei convite à SUDEMA, para que tudo seja feito a maior transparência possível”, disse o gestor, destacando que a transparência é justamente uma das principais referências da atual gestão da Docas//PB.

Para encerrar as explicações técnicas dos profissionais do Porto de Cabedelo, foi proferida uma explanação sobre os avanços alcançados pela gestão de Wagner Breckenfeld pelo diretor comercial, Francisco Paquet. Durante sua intervenção, Paquet destacou a evolução e mudança da imagem da instituição junto ao mercado nacional e internacional, os avanços dos entendimentos com armadores no que diz respeito a cabotagem, além da participação em feiras de negócios voltados ao comércio marítimos que aproximam o Porto de Cabedelo com clientes em potencial, além da situação superavitária da instituição que nunca atingiu este nível.

Em suas considerações finais, Wagner agradeceu aos parlamentares a oportunidade de dar estes esclarecimentos e afirmou que não tem pretensões de continuar gerindo o Porto, apesar dos inúmeros apelos de membros da sociedade organizada e da comunidade portuária. Além disso, Breckenfeld se comprometeu em participar ativamente do período de transição política, no que diz respeito à instituição. “Eu participo de outra corrente política e não me sentiria confortável em permanecer no cargo num outro governo, mas também quero deixar registrado que deixarei todas as informações e relatórios prontos até o dia 15 de dezembro para que a próxima gestão possa operar o Porto com tranqüilidade e dar continuidade a todas as ações sem nenhum problema”, disse Breckenfeld, complementando que também deixará todas as finanças do Porto em equilíbrio e as contas saneadas.

O vereador Josué de Góes elogiou o comparecimento e as explicações de Wagner Breckenfeld. “Decisão louvável de Wagner, que está cumprindo sua função como diretor do Porto de Cabedelo de prestar esclarecimentos à população sobre os recursos que estão sendo utilizados, o que está sendo empregado e o que está sendo viabilizando para o Porto. Sabendo que Wagner, na qualidade de gestor que sempre soube gerir esses recursos, eu tinha certeza que ele se faria presente e esclareceria a contento as dúvidas que pairavam tanto da população, quanto dos parlamentares”, afirmou o vereador.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.