Buba Germano aguarda acórdão, mas questiona julgamento

O prefeito cassado do município de Picuí Buba Germano (PSDB) demonstrou tranquilidade hoje ao falar sobre a sua cassação decretada pelo Tribunal Regional Eleitoral na tarde da última terça-feira. Ele negou ter feito uso de um caixa dois na campanha:
 
– Não foi uso de caixa dois. O processo é uma questão de erro formal. Esse processo na primeira instância houve a aprovação de contas no meu município. Foi ao Tribunal Eleitoral e eles aprovaram as contas com ressalvas, só que erros técnicos formais claramente alegam uma despesa de R$ 4.200 que não foi contabilizada, fruto de um carro de som de um partido ou de uma doação. O partido fez a prestação de contas que deveria ter sido feita pelo comitê e isso se refere a tinta de parede, ou seja, isso só pode ser trabalho de pessoas que torcem contra, pois não houve reflexo e o voto do relator foi claro. Ele me isentou na cassação, da inelegibilidade e da multa, contrariando até a primeira instância.
 
Buba acrescentou que vai respeitar a decisão do Tribunal Regional Eleitoral, mas questionou os outros julgamentos de prefeitos com resultados diferentes do dele.
 
– Na mesma sessão houve outros julgamentos e não me resta outra coisa a não ser respeitar a decisão do Tribunal, desde que respeitada a minha de recorrer. A vida continua, já tranquilizei as pessoas do meu município. Administrativamente, o município continua andando. Vou agora esperar a publicação do acórdão para que os advogados tomem as devidas providências. Eu sou um engenheiro agrônomo, gestor e nada macula a minha conduta como gestor, pois não estou sendo julgado por desvio de verba nem captação ilícita de voto.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.