“Bolsonaro é uma farsa e é bandido”, diz pré-candidato do Psol à Presidência

O pré-candidato do Psol à Presidência, guilherme Boulos, disparou contra o pré-candidato do PSL, o deputado Jair Bolsonaro (RJ). Em entrevista exclusiva ao Congresso em Foco, transmitida ao vivo pelo Twitter, Boulos chamou Bolsonaro de “bandido”, “criminoso” e “farsante”. Disse, ainda, que se a justiça fosse feita no Brasil, o parlamentar não seria candidato ao Planalto, mas estaria preso.

“Primeiro temos de caracterizar quem é Jair Bolsonaro. Jair Bolsonaro é um bandido, um criminoso. Não trato Jair Bolsonaro como um concorrente, que vamos ali fazer a disputa eleitoral. É um bandido, representa a barbárie. Comete crimes de fato”, declarou.

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) citou a condenação de Bolsonaro por apologia ao estupro, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), por ofensas à deputada Maria do Rosário (PT-RS) e por danos morais por causa de declarações contra quilombolas.

Boulos também contestou o discurso do pré-candidato do PSL de que não faz parte da política tradicional. “Ainda vende o peixe de que é uma coisa nova, de que está contra toda essa política que está aí. O cara é deputado há 30 anos, boa parte deles no partido de Paulo Maluf (PP), já passou por nove partidos”, criticou.

Para ele, Bolsonaro tem de ser tratado como é. “Bolsonaro é uma farsa e é um bandido. É assim que ele tem de ser tratado. É assim que ele merece ser enfrentado no processo político. Ele representa um projeto de barbárie contra a civilização, barbárie contra a democracia. É preciso demarcar isso muito claramente quando se tratar do Bolsonaro.”

Boulos atribui os elevados índices de intenção de voto obtidos pelo deputado nas pesquisas ao momento de desesperança e descrédito nas instituições que o país vive.

“É muito compreensível que as pessoas estejam descrentes, desiludidas, de fato há um problema de representatividade. Essa forma de fazer política não representa as maiorias. Representa o 1% [da população]. O problema é que isso está levando a uma falta de perspectiva de futuro. Aí que o Bolsonaro entra com discurso de que vai botar ordem na casa, vai acabar com a bandalheira. Num momento de fragilidade da sociedade esse discurso tem apelo”, avaliou. “Bolsonaro é um farsante, vende um peixe podre. Além de ser um cara criminoso que, se justiça fosse feita no Brasil, não era candidato a presidente. Ele estava preso”, acrescentou.

Na entrevista, Boulos também classificou como uma “injustiça” a condenação do ex-presidente Lula pela Justiça Federal e disse que está disposto a ir às ruas, caso o petista seja preso, para protestar. Segundo ele, o julgamento do ex-presidente, em tempo recorde, teve o claro objetivo de tirá-lo da disputa eleitoral.

Congresso Em Foco

Comentários