Bancada federal da Paraíba gastou quase R$ 1 milhão no 1º semestre

Abancada paraibana (12 deputados federais), na Câmara Federal, gastou só no primeiro semestre deste ano, mais de R$ 927,8 mil com verbas indenizatórias, destinadas à manutenção de escritórios nos Estados de origem, de acordo com levantamento feito pelo Portal da Transparência da Câmara Federal. O deputado Wilson Braga (PMDB), que vem usando mensalmente todo o limite permitido para despesa com a verba – que é de R$ 15 mil por mês – lidera o ranking com um gasto de R$ 93,9 mil nesses primeiros seis meses. Em seguida, vem o deputado Manoel Júnior (PSB), com gastos que somam R$ 87,3 mil.

A Câmara Federal tem 513 deputados que, além de um salário mensal de R$ 16,5 mil, verbas de gabinete, cotas de passagens aéreas, ainda gozam do direito de terem ressarcidas, através da chamada verba indenizatória, as despesas com combustível, divulgação de atividade parlamentar, manutenção de escritório, hospedagem, alimentação, consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos, além da locação de veículos, serviços postais e telefonia.

Dos R$ 15 mil gastos, por mês, por Wilson Braga, por exemplo, mensalmente ele regiamente destina R$ 4,5 mil para combustível e lubrificantes. Se considerar que R$ 4,5 mil pode comprar um total 1.956 litros de gasolina, a um preço médio de R$ 2,30 o litro, o valor daria para percorrer cerca de 16.567 quilômetros (em veículo de passeio). Em termos comparativos, isso corresponde a 16 viagens de ida e volta de João Pessoa a Cajazeiras, cuja distância de uma cidade da outra é de 496 quilômetros. Daria para o deputado viajar dia sim, dia não, ao Alto Sertão, todo mês.

Além disso, o parlamentar peemedebista gastou outra elevada soma com serviço de segurança prestado por empresa especializada, que ficou entre R$ 4,5 mil e R$ 8,5 mil, nos primeiros cinco meses deste ano. Mas recentemente, os gastos com segurança foram limitados a R$ 4,5 mil por mês, assim como acontece com combustível, cujo limite é também R$ 4,5 mil. O ressarcimento aos deputados é feito mediante apresentação da nota fiscal das despesas.

Em  segundo lugar, no ranking dos maiores gastos com a verba extra, vem o deputado socialista Manoel Júnior (PSB), que gastou só de janeiro a junho R$ R$ 87,3 mil de verbas indenizatórias, apenas R$ 2,7 mil a menos que Braga. Apenas em junho, Manoel Júnior gastou R$ 10,5 mil, sendo R$ 6 mil só com divulgação de atividade parlamentar e os outros R$ 4,5 mil com consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos. Em maio, o gasto de R$ 9 mil foram divididos meio a meio entre o item combustível e a rubrica de consultoria, pesquisas e trabalhos técnicos.

Embora nos meses de março, maio e junho os gastos tenham sido abaixo da média de R$ 15 mil (R$ 12,3 mil em junho e R$ 9 mil em março e R$ 9 mil em maio), o deputado compensou a diferença nos meses de abril e fevereiro, quando gastou R$ 21 mil em cada mês, sendo a maior parte (R$ 12 mil em cada mês) destinada à divulgação da atividade parlamentar e o restante (R$ 4,5 mil) para combustível e igual valor para consultorias e pesquisas. Em janeiro, mês em que a Câmara Federal está de férias, a despesa do parlamentar foi R$ 15 mil.  

O terceiro lugar no ranking ficou com o deputado Marcondes Gadelha (PSB), com R$ 86,1 mil. O deputado Wilson Santiago (PMDB) vem em quarto, com R$ 85,9 mil, seguido pelo deputado Rômulo Gouveia (PSDB), com R$ 85,8 mil, Vital do Rêgo Filho (PMDB), com R$ 85,3 mil, e o deputado Armando Abílio (PTB), que aparece com gastos de R$ 83 mil nesse primeiro semestre. Já os deputados federais que menos gastaram com verba indenizatória foram Wellington Roberto (PR) – R$ 34 mil; Efraim Filho (DEM) – R$ 66 ,3 mil; Damião Feliciano (PDT) – R$ 71,9; Major Fábio Rodrigues (DEM) –  R$ 72,5 mil; e Luiz Couto (PT) – R$ 75,8 mil.

Deste mês

O Portal da Transparência já inseriu os registros da prestação de contas referente às despesas iniciais deste mês. O deputado que mais gastou foi Marcondes Gadelha (PSB). A despesa ficou orçada em R$ 14,1 mil. Em seguida, vem Wilson Santiago, com R$ 12,1 mil, Rômulo Gouveia, com R$ 10,7, Wilson Braga, R$ 7,2 mil; Vital Filho, R$ 6,9 mil; Armando Abílio gastou R$ 6,6 mil; o deputado Damião Feliciano gastou R$ 2,8 mil; Wellington Roberto, R$ 2,3 mil; Major Fábio, R$ 2,2 mil; Luiz Couto, R$ 1,6 mil;  Efraim Filho, R$ 1,1 mil; e Manoel Júnior, que até agora só prestou contas de R$ 955 em despesas com a verba indenizatória, referente ao mês de julho.


Jornal da Paraíba

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.