Associação de PMs é notificada e suspende operação tartaruga no DF

A Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Distrito Federal (Aspra -DF) informou que foi notificada na tarde de ontem da decisão judicial que determinou o fim da operação tartaruga. De acordo com o vice-presidente da Aspra, sargento Manoel Sansão, os policiais irão respeitar a decisão, interrompendo a ação. Ele disse ainda que a Aspra vai recorrer.
 
O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) acatou parcialmente pedido do Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF) e determinou que os policiais militares encerrem a operação tartaruga que, desde outubro de 2013, é feita com o intuito de pressionar o governo a conceder reajuste salarial, reestruturação da carreira e pagamento de benefícios aos PMs em atividade ou na reserva. De acordo com a assessoria do TJDF, a decisão foi deferida parcialmente pela desembargadora Nilsoni de Freitas Custódio no plantão da madrugada do dia 1º.  Caso a determinação não seja cumprida, será aplicada multa diária de R$ 100 mil à representação da categoria.
 
Segundo a Secretaria de Segurança Pública, do dia 1º de janeiro até a manhã do dia 30, foram registrados 68 homicídios, 19 a mais do que em janeiro do ano passado. Na média, são mais de duas mortes violentas por dia. O grande número de homicídios foi provocado pela operação tartaruga.
 
De acordo com Sansão, os filiados à associação vão ser reunir no próximo dia 7 para debater os rumos do movimento.
 
 
 
Agência Brasil

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.