Assembleia discute transposição do São Francisco hoje

O projeto de transposição de águas do rio São Francisco volta a ser tema de discussão na Assembleia Legislativa da Paraíba, durante reunião a ser realizada na tarde de hoje, no mini-plenário deputado Judivan Cabral. O evento faz parte dos trabalhos preparatórios do seminário a ser realizado no dia 22 de março, dia mundial da água, com o objetivo de alertar as autoridades públicas e ao mesmo tempo cobrar agilidade na realização de obras de licença ambiental, esgotamento sanitário, tratamento de resíduos e drenagem dos rios e cidades que serão contemplados com as águas do São Francisco.
 
As informações foram prestadas pelo deputado Francisco Quintans (DEM), responsável pela coordenação do seminário. O deputado informou que as obras exigidas pelo governo federal são fundamentais para que a água do São Francisco possa entrar no Estado, através de dois canais; um pelo cariri e o segundo pelo sertão. “A Assembleia Legislativa é o fórum de discussão desse anseio do povo paraibano”, declarou.
 
Segundo o deputado Quintans, as obras de responsabilidade do governo da Paraíba estabelecidas com o governo federal estão bastante atrasadas e há o risco do não uso das águas do São Francisco pelos paraibanos, exatamente pela não realização das condicionantes exigidas pelo governo federal. “Sem as obras de infra-estrutura, que infelizmente estão atrasadas, a Paraíba corre o risco de não receber as águas do rio São Francisco”, alertou.
 
O acordo entre os governos federal e estadual para a realização das obras foi iniciado na gestão do então governador Cássio Cunha Lima, inclusive com abertura do processo de licitação, conforme informou o parlamentar. “Infelizmente as obras que cabe ao Estado foram paralisadas no governo Maranhão. Contudo, precisamos retomar essa discussão e acreditamos que atual governador Ricardo Coutinho, com a sensibilidade que já demonstrou sobre o assunto, vai dar continuidade as obras para que a Paraíba não fique de fora deste grandioso projeto de transposição”, comentou.
 
Francisco Quintans informou ainda que a reunião vai contar com a participação de engenheiros, professores universitários, técnicos do segmento hídrico, além de representantes da sociedade civil organizada. Já o seminário contará com a presença de técnicos do ministério do Desenvolvimento regional, segundo revelou o deputado.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.