Artistas negam apoio a Maranhão durante entrega de manifesto

O poeta Lau Siqueira, atual secretário de Desenvolvimento Social da prefeitura de João Pessoa, emitiu um email recheado de críticas ao recente manifesto de parte do segmento artístico paraibano à candidatura do governador licenciado da Paraíba, José Maranhão (PMDB). À manifestação de Lau, somou-se a de diversos outros integrantes do movimento cultural do Estado. Alguns disseram ter assinado o documento com a intenção de sugerir melhorias nas políticas culturais do Governo, mas que não teriam sinalizado com adesão ao projeto de reeleição do governador paraibano.

A cantora e compositora Patrícia Moreira, por exemplo, negou que tivesse assinado o manifesto pró-Maranhão. “Vários jornalistas me ligaram hoje o dia todo para saber dessa suposta adesão a José Maranhão. Minha resposta é simples: não declarei meu apoio a ninguém”, ressaltou.

O escritor Heriberto Coelho declarou que compareceu ao Centro Histórico apenas participar da entrega de um manifesto que pedia apoio do Governo do Estado para a classe artística. “Não declaramos apoio a Maranhão. Fomos lá apenas para entregar um documento que reivindicava o apoio do Governo para os artistas, nada mais. Pedi a Walter Santos que retirasse meu nome da lista de apoiadores do atual governador, pois não é verdade” – referindo-se a lista que foi reproduzida na coluna do jornalista Walter Santos.

Já o diretor Edilson Alves se disse indignado com a afirmação de que está ao lado do candidato à reeleição. “Não autorizo ou autorizei o uso do meu nome como apoio a José Maranhão. Não declarei meu voto durante a entrega do manifesto, que foi direcionado ao Governo do Estado e não a pessoa do então governador. Mas agora faço questão de declarar: meu voto é de Ricardo”, disse.

Após inúmeras manifestações de artistas que se disseram inconformados de terem seus nomes atrelados ao do candidato da situação, Santos publicou em sua coluna, um e-mail do ator e produtor Buda Lira. “Os Lira, são quatro pessoas absolutamente distintas uma das outras e que fizeram opção pelo candidato socialista por razões diferentes, embora prevaleçam pontos comuns. Trata-se de Nanego Lira, ator, Soia Lira, atriz, Bertand Lira, cineasta, e Buda Lira, ator e produtor. Uma das muitas razões: a passagem do candidato Ricardo Coutinho pela Prefeitura e as ações em prol da cultura”, revelou.

Segundo o e-mail de Lira, outra razão seria a de que o Governo do Estado ainda não pagou projetos aprovados no edital de 2008 do FIC Augusto dos Anjos e nem lançou novos editais em 2009 e 2010. “Como pode prometer aumento de verba para FIC? Aliás, ainda não quitou os débitos do Prêmio Aruanda lançado pelo Governo, quando assumiu em 2009”, frisou.

Email de Lau Siqueira – Outro a criticar o manifesto foi o poeta Lau Siqueira, atual secretário de Desenvolvimento Social da Prefeitura de João Pessoa. Em um texto distribuído na internet por email, Lau se referiu a Rodrigo Soares como "Bob Esponja" e considerou que os artistas a apoiarem Maranhão não seriam mais que meia dúzia.

"Confesso que da imensa maioria jamais ouvi falar e outros, sinceramente, fiquei sabendo agora que são artistas. Também preciso dizer que faz bem ao coração saber que alguns nomes que lá estão, não estão do lado de cá. Afinal, a sociedade é plural e no ambiente cultural tem de tudo. Entretanto, o que me faz reagir é a manchete do release elaborado pelos marketeiros da dupla Zé & Bob: “Manifesto da Cultura em favor de Maranhão reúne 145 apoios e reivindica secretaria.”  (Lembrei daquele personagem popular: “fica vermelha, cara sem vergonha”.) Uai, será que esqueceram que o Senhor dos Anéis, Zé Maranhão, está completando 12 anos de governo? Por que já não criou a tal secretaria? Não deu tempo? Na verdade, Maranhão tem um profundo desprezo pelos artistas e pela cultura paraibana. Suas atitudes em 12 anos de governo são de prioridade zero para a cultura. Vejam a situação do FIC, só pra ficar no primeiro exemplo. Depois de 12 anos o que ele contabiliza em termos de compromisso com a cultura são promessas. Não tem história. Como pode? É triste para um estado que respira cultura.  Realmente, camaradas, assim fica difícil até mesmo de repercutir o manifesto maranhista. Para estabelecermos as diferenças entre Ricardo e Zé na cultura, basta divulgar uma única notícia da semana. Aliás, uma única notícia da política de cultura da Prefeitura, enterra 12 anos emaranhado cultural. A verdade são os fatos e não a natureza contrariada de interesses muito particulares e alguns, sabemos bem, inconfessáveis".

Assessoria nega – A assessoria de imprensa do candidato José Maranhão negou que tivesse distribuído o manifesto dos artistas em prol do peemedebista. A lista foi publicada pela coluna do jornalista Walter Santos. No release enviado pela Coligação Paraíba Unida, contudo, é citado que 150 artistas teriam subscrito o documento.

Clique aqui e leia o texto enviado pela Coligação Paraíba Unida sobre a participação dos artistas em um ato em prol da candidatura de Maranhão

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.