Arthur e Lindolfo denunciam suspeita de monitoramento em telefones

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado estadual Arthur Cunha Lima (PSDB), denunciou hoje que seus telefones estão grampeados e escutas ilegais estão sendo realizadas. A desconfiança de Arthur aumentou depois do vazamento de informações de uma conversa que manteve com o primeiro secretário da Mesa, deputado Lindolfo Pires (DEM), sobre temas relacionados à administração do Poder Legislativo. Lindolfo confirmou que também já suspeitava do grampo em seu celular.

O presidente da Assembléia Legislativa considerou que esse tipo de patrulhamento “de gravíssima responsabilidade” e adiantou que não quer acusar ninguém sobre a iniciativa de eventuais escutas telefônicas ilegais. Arthur alertou que, para que essas suas suspeitas não descambem para debates políticos, prefere não opinar sobre a quem interessa monitorar ilegalmente suas conversas telefônicas.

Já o deputado estadual Lindolfo Pires lamentou que esse tipo de grampo estivesse voltando à cena política do Estado. “Essas denúncias, há oito anos, haviam cessado. Infelizmente, as gravações ilegais de telefonemas entre autoridades constituídas do Estado parecem que voltaram à rotina”, disse. Lindolfo frisou que, dias atrás, o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), denunciou que estava com seus telefones grampeados. Ricardo anunciou a contratação de uma empresa especializada para fazer uma varredura nos telefones da Prefeitura de João Pessoa.

Arthur Cunha Lima destacou que, como presidente da Assembléia Legislativa, tem a responsabilidade de não insinuar qualquer suspeitas, mas estranha o vazamento do teor de suas conversas com outros integrantes da mesa-diretora. Arthur revelou que foi alertado desse vazamento por um deputado da base governista na Assembléia, que lhe recomendou que tivesse mais cuidado com os próximos telefonemas, já que o grampo continuaria.

Arthur adiantou que recorda o teor da conversa que manteve com Lindolfo e, como tratou apenas de questões administrativas, não pretende abrir um processo de investigação mais detalhado sobre as suspeitas. Contudo, Arthur não descarta a possibilidade de providenciar uma varredura nos telefones fixos e móveis do Legislativo Estadual.   

Nesta quarta-feira à noite (01/07), o secretário estadual de Segurança e Defesa Social, Gustavo Gominho, em entrevista a um programa de TV na Capital confirmou a existência de um poderoso software, chamado de ‘Guardião’, que é capaz de gravar 760 escutas telefônicas simultaneamente. Ele não disse se é o Estado quem possui esse tipo de software.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.