Arthur descarta pressa na apreciação de empréstimo pedido pelo Governo

Cláudia Carvalho

Pelo que disse hoje à tarde o presidente da Assembleia Legislativa, Arthur Cunha Lima (PSDB), o pedido de empréstimo feito pelo Governo do Estado não será votado antes do recesso parlamentar, que começa na sexta-feira, 19. Arthur declarou que não há sangria desatada e motivo para a urgência pedida pela situação e descartou a possibilidade de haver uma convocação extraordinária dos deputados para apreciar a matéria:

"Não há sangria desatada. O prazo final para isso é dezembro de 2009. Ainda precisa haver um detalhamento dessa matéria, explicando, por exemplo, quais as garantias que foram dadas para esse empréstimo", declarou Arthur, que chegou a defender a realização de uma audiência pública para saber se a população aceitaria alienar algum patrimônio do Estado como garantia do dinheiro solicitado.

Em resposta, o líder do Governo, Gervásio Filho (PMDB) declarou que houve omissão e esvaziamento da Assembleia na semana que antecede o recesso: "Isso beira a covardia, mas vamos continuar tentando sensibilizar nossos colegas para que a Paraíba não seja exceção no plano emergencial oferecido pelo Governo Lula. Banco nenhum no planeta aprova empréstimo sem que o contratante tenha condições de pagar. Se essa Casa aprovar amanhã o projeto, hospitais estarão com suas obras garantidas".

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.