APLP não aceita parcelamento de férias dos professores

Alinne Simões

O presidente da Associação dos Professores de Licenciatura Plena (APLP), Francisco Fernandes, revelou ao Parlamentopb no final da manhã deste sábado, 22, que a associação não concorda com o anúncio feito esta semana, por Ricardo Coutinho (PSB) de que o Governo vai ter que parcelar o pagamento das férias dos professores.

Fernando, que está em Brasília para um encontro de Educação, disse que tem acompanhado o assunto pelos portais de notícias e que não concorda com a medida. Ele falou que está retornando para a Paraíba na próxima quinta-feira, 27, e que deve se reunir com conselheiros da APLP e em seguida solicitar uma audiência com o Governo para fazer suas exposições.
 
– Minha posição é totalmente contrária. Não se pode comparar o professor com os outros servidores, porque ao contrário deles, os professores só tiram férias em janeiro. Esse salário de férias vem sendo pago integralmente desde que o ex-governador Cássio Cunha Lima aprovou o PCCR dos professores. 
 
Fernando disse que, caso não consiga resolver com o Governo esta situação, a Associação deve tomar as medidas judiciais cabíveis. Por fim, ele confessou ainda que também não apóia a decisão do governo de exonerar os diretores de escolas que foram eleitos.
 
– Tem outra questão que eu discordo, que é em relação a exoneração dos professores eleitos. Isso não é cargo de confiança do governo não. Eles foram eleitos num pleito e devem cumprir o seu mandato. As pessoas votaram e deram um voto de confiança. 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.