Anselmo não sai da presidência do PT e nega rusga com Edme Tavares

O presidente municipal do PT de João Pessoa, Anselmo Castilho, reagiu hoje à tarde às declarações do vereador Benilton Lucena, cobrando seu afastamento do diretório do partido na capital por causa de sua nomeação para secretário de Articulação Política do Governo Maranhão III. Ele declarou que a reclamação de Benilton é incoerente e aconselhou o líder do PT na Câmara a também cobrar do presidente estadual, Luiz Couto, que, igualmente, deixe o cargo.

"Se eu não pudesse ser presidente do PT por causa do exercício do cargo me levar a Brasília, Luiz Couto também não poderia ser presidente estadual do partido porque também trabalha na capital federal", disse Castilho.

Ele acrescentou que não pretende deixar sua condição de dirigente partidário, mas assegurou que não disputar a reeleição no diretório pessoense.

O advogado ainda comentou o episódio de saída do secretário executivo da Articulação Governamental, Edme Tavares, e negou que ele tenha deixado o Governo desgostoso com o fato de não ter sido promovido à titularidade da pasta e dizendo que não iria servir de guia a Anselmo em Brasília: "Edme me recebeu muito bem, com muita gentileza. Essa polêmica que criaram não procede. Ele deixou o Governo porque tinha outras atribuições a cumprir. Isso já estava decidido antes de eu chegar à Secretaria", disse.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.