Anísio critica governo e diz ter pena de Walter Aguiar

O deputado Anísio Maia (PT), disse hoje que é terminantemente contra as adesões. Para ele, essa prática deveria ser extinta e substituída por alianças e acordos políticos. Anísio revelou ainda que é a favor de uma possível conversa entre o PT e o governo, desde que seja para discutir políticas públicas, nunca para discutir adesões.

– Adesão é uma prática que tem que acabar nesse estado. Por que aderir? Vamos fazer igual ao governo federal, dialogar com os partidos. Não tem que aderir, um governo tem que procurar coligações e alianças, o adesismo tem que acabar nesse país. Eu já fiz acordos políticos, participei de coligações com o PMDB, mas adesão nunca. Se o governo diz que não descrimina ninguém, então por que aderir. Eu sou a favor do debate, se o governador Ricardo Coutinho quiser debater com o PT, nós vamos debater as propostas do PT, não vamos pela porta da cozinha, se quer debater com a gente tudo bem, nós apresentaremos nossas propostas.

De acordo com o deputado, os parlamentares que apoiaram o governo de Ricardo Coutinho estão insatisfeitos. Ele falou ainda o que acha sobre a participação do deputado federal Luiz Couto (PT), no governo estadual.

– Eu não acho que Luiz Couto está bem nesse governo, sua participação não é boa, eu sendo ele sairia fora. Os parlamentares estão reclamando da forma como estão sendo tratados. O que nós vimos da Assembléia, uma bancada de oposição e outra de situação, o governo vai lá e fisga um, mas aí tem a pergunta: o que isso traz de bom pra Paraíba? Conquistar um votinho. O parlamentar vai lá e volta com a desculpa esfarrapada de que o governador prometeu um hospital para a sua cidade. Como assim? O governador já não deveria dar o hospital à população? O deputado não é a representação daquela região? Então por que aderir? Nesse sentido nem eu nem o PT vai aderir. Se quiser discutir política a gente discute, do contrário não.

O deputado critica o governo dizendo que o PSB não sabe ouvir as pessoas e por isso seu governo não dá certo. Na mesma ocasião Anísio diz sentir pena de Walter Aguiar.

– O PSB nacional é uma coisa, o estadual é outra coisa. Você veja o governo do PSB em Pernambuco é uma coisa, é democrático, tem participação efetiva dos diversos mecanismos sociais, aqui não tem. Diante de todas essas medidas do governo Ricardo, alguém escutou alguma coisa fora do gabinete dele, alguém soube o que ia ser colocado em prática? Não, e por isso não tem dado certo e a coisa está atrapalhada. A primeira lição é: temos que ouvir e fazer como o governo federal fez. E você falou de Valter Aguiar, mas eu tenho pena de Walter Aguiar, ele é um companheiro muito competente, um cara que tem uma grande história administrativa, mas qual o poder que ele tem hoje? Só tem poder nominalmente no governo de Ricardo. Eu sendo ele já estaria de fora. Talvez Lúcio Flávio mande mais que ele e eu não aceitaria ser secretário para não mandar.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.