Aníbal Marcolino adere a Maranhão, critica Cássio e se filia ao PSL

O suplente de deputado estadual Aníbal Marcolino deixou o PDT e se filiará hoje à tarde ao PSL. As novidades não param por aí. Ele tomou café da manhã com o governador José Maranhão (PMDB) e a primeira dama, Fátima Bezerra e disse que passa a ser um "soldado" a serviço do bloco governista. Em entrevista ao Paraíba Agora da 101 FM, Aníbal declarou sua mágoa com o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) por quem se disse abandonado na campanha municipal de 2008.

"Eu e João Gonçalves fomos discriminados e abandonados. Em Campina Grande, o ex-governador manteve a base unida, mas em João Pessoa deixou todo mundo ficar com Ricardo Coutinho e não fez a mínima questão de barrar essa onda de adesões", disse, acrescentando seu incômodo com o comportamento de Cássio para com o senador Cícero Lucena: "O tratamento dele é de um inimigo de Cícero".

Para aguçar suas críticas, Aníbal acusou Cássio de ter lhe oferecido uma "proposta indecente" para que assumisse o mandato na Assembleia: "Ele mandou o líder licenciado Manoe Ludgério me oferecer a possibilidade de assumir, com uma condição: não criticar Ricardo Coutinho. Eu me revoltei e não poderia me calar diante disso. Saio do PDT e entro no PSL para ser um soldado do Governo Maranhão", explicou.

A solenidade de filiações ao PSL acontece na Assembleia Legislativa da Paraíba às 15 horas.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.