André Gadelha estranha decisão judicial sobre sigilo de Jair Soares

O deputado estadual André Gadelha (PMDB) comentou hoje a decisão do juiz convocado Aluizio Bezerra do Tribunal de Justiça da Paraíba concedendo liminar em mandado de segurança suspendendo a quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico de Jair de Oliveira Soares. O líder de oposição disse ter estranhado o posicionamento do magistrado porque o pedido não teria chegado a ser feito.

– Eu estranhei que um magistrado se antecipe a um pedido que a Casa estava ainda preparando. A fundamentação está sendo feita por causa de contradições do depoimento de Jair Soares. Ainda íamos entrar na Justiça com um pedido de informações para achar um culpado. Mas, estranho a decisão do magistrado alegando que não existe fundamentação para a quebra de sigilo. Não chegamos nem a fazer a fundamentação e ele diz que não há fundamentação. Eu não tenho conhecimento jurídico, mas estranho muito a decisão de Aluizio Bezerra. Houve uma antecipação do magistrado.

Segundo André, o que foi aprovada foi a ata da reunião da CPI dos Outdoors em que havia sido citada a necessidade da quebra do sigilo bancário, fiscal e telefônico de Jair Soares, responsável pela criação do Fórum Comunitário em Defesa do Desenvolvimento Econômico da Zona Sul. Os oposicionistas investigam se Jair teria recebido dinheiro de fonte externa à entidade para financiar a campanha de outdoors que expôs os deputados cujos votos foram contrários à permuta do terreno da Acadepol por uma área privada no Ernesto Geisel.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.