Anastácio rebate Tatiana e diz que ajudou a tirar famílias do “cabresto”

O deputado estadual Frei Anastácio (PT) respondeu às críticas feitas a ele pela prefeita do Conde, Tatiana Corrêa, que o acusou de nunca ter feito nada pelo município. “A prefeita diz que nunca levei nenhuma “pá de terra”, para o Conde. Na verdade, não levei isso porque ajudei na luta pela conquista de muita terra para pessoas que precisavam produzir e sair do “cabresto” de famílias de latifundiários como a dela”, rebateu o deputado.
 
Frei Anastácio relembrou a luta pela terra naquele município e disse que contribuiu com a implantação dos oito assentamentos da reforma agrária  existentes no município. “Hoje, são mais de seis mil pessoas, nos assentamentos da reforma agrária, contando com os agregados (filhos, genros, noras e netos) que vivem sem precisar das ordens, nem dos favores dos senhores feudais. E eu contribui para dar dignidade e cidadania a essa gente”, disse.
 
O deputado citou que já a prefeita e a família dela, num passado não muito distante, faziam o contrário. “Levavam os trabalhadores para votar como se fossem “animais ferrados”, vestidos de tecidos de chita e cáqui, já com as ordens direcionadas em relação ao voto”, relembrou.
 
De acordo com ele, a própria prefeita chegava armada nas áreas reivindicadas pelos trabalhadores, tentando expulsa-los das terras. “Por defender os trabalhadores, eu fui preso a mando da família da prefeita, na luta da fazenda Tabatinga (hoje assentamento Dona Antônia) que tinha como chefe o pai dela, Almir Correia, e passei seis dias atrás das grades injustamente. Na luta pela conquista do assentamento Tambaba, eu cheguei a ser raptado e fui mantido em cárcere privado, durante um dia e uma noite, por Enio Guerra, que disputava com Olegário Lundgren – família da prefeita – as terras de Tambaba”, relatou o deputado.
 
O parlamentar disse que tem orgulho de ter sofrido tudo isso, numa causa que busca dignidade e liberdade para um povo que vivia sobre opressão. “Quero dizer a senhora prefeita, que o meu compromisso não é com o padre Severino, nem tampouco com Aguinaldo Ribeiro. Não tenho nada a ver com essa aliança deles. O meu compromisso é com a luta dos trabalhadores, é com o bem estar daqueles que buscam sair das margens da sociedade”, afirmou o deputado.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.