Amazonino é investigado por compra de votos

O Ministério Público Eleitoral no Amazonas divulgou ontem que a Polícia Federal investiga, há três meses, o prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), por suposta compra de votos durante a campanha de 2008.

O caso foi denunciado por um cabo eleitoral e trata de um suposto esquema de doação de lotes de terras e facilitação de inscrições do programa federal de habitação Minha Casa, Minha Vida.

Na campanha de 2008, Amazonino e seu vice, Carlos Souza (PP), foram acusados de distribuir combustível. Eles tiveram os registros cassados. Os dois negam. Tomaram posse, em janeiro, por força de uma liminar concedida pelo TRE.

Segundo o MPE, o cabo eleitoral –o nome não foi divulgado–disse em depoimento que era responsável pelo cadastro dos eleitores. Na campanha, segundo a denúncia, Amazonino ofereceu lotes de terra, da zona norte de Manaus, para construção das casas populares.

O cabo eleitoral entregou ao MPE 12 folhas contendo 48 cadastros de eleitores supostamente beneficiados pelo programa federal. Nas folhas constam os nomes dos eleitores e os números dos documentos deles como o título de eleitor, a identidade e o CPF.

O denunciante contou que Amazonino fazia reuniões com eleitores, nas quais oferecia participação no programa Minha Casa, Minha Vida.

Por meio de sua assessoria, o prefeito Amazonino Mendes afirmou que o caso não passa de "futrica". Disse que não ofereceu lotes de terras a eleitores e que a denúncia não tem fundamento. Quanto ao Minha Casa, Minha Vida, a assessoria informou que a prefeitura não tem vínculo com o programa.
 

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.