Amanda Rodrigues rebate denúncia do MP e se diz perseguida por ser esposa de Ricardo

A ex-secretária de Finanças Amanda Rodrigues, esposa do ex-governador Ricardo Coutinho, fará uma live na noite desta segunda-feira (25) para falar sobre a nova denúncia feita pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). Amanda é uma das 7 denunciadas, assim como Ricardo, no caso envolvendo o Lifesa.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, Amanda Rodrigues diz ter ficado estarrecida com a denúncia do MPPB, no âmbito da Operação Calvário, e que está sendo acusada sem provas.

“Eu fui denunciada pelo Ministério Público da Paraíba por fazer parte do Conselho do Lifesa. Na denúncia eles dizem que eu recebia vantagens ilícitas para fazer parte desse conselho. Quando eu fui secretária de finanças do Estado da Paraíba eu, de fato, fazia parte do Conselho do Lifesa e fui designada pelo meu superior através de portaria e algo que consiste em lei para fazer parte desse conselho. Os secretários que participam de conselho geralmente recebem uma coisa chamada Jetom. Por cada reunião que participa se recebe um Jetom, tem um valor estipulado por órgão e eu nunca recebi nenhuma Jetom por fazer parte do Lifesa, então nunca recebi nenhuma vantagem”, afirmou.

Ela garante que a única coisa que recebeu era seu salário como secretária.

“Então, recebi com muita indignação, porque após oito fases da Operação Calvário, nunca havia sido denunciada antes. Eles já sabiam que eu fazia parte do Conselho do Lifesa, já tinham grampeado meu telefone, já tinham investigado minha vida. E na denúncia de dezembro, onde eles já falavam do Lifesa, com tudo que eles colocam nessa denúncia, novamente, com as delações, com as mesmas falas, eles me denunciam e dizem que eu recebia essas vantagens e não dizem quais essas vantagens”, ressaltou.

Amanda afirma que está sendo perseguida por ser esposa de Ricardo Coutinho. “E eu aproveito pra dizer que eu sou esposa de Ricardo com muito orgulho e que eu fiz parte do seu governo com muito orgulho também. E tenho orgulho de ter ajudado a construir um estado melhor para os paraibanos”, declara.

Amanda chama a atenção para o fato de estar sendo denunciada após tornar público um diário, onde ela coloca tudo o que a sua família e várias pessoas passaram ao longo da Operação Calvário.

Segundo ela, alguns integrantes do MP estão tornando o Ministério em um órgão de perseguição pessoal a Ricardo e pessoas que fizeram parte do seu projeto político de mudanças da Paraíba. “Eu tenho certeza que têm muitos promotores que não concordam com isso e eu não posso dizer que é o Ministério Público que está fazendo isso. Mas, sim, algumas pessoas que estão lá dentro”, afirmou.

Denúncia do MP

Segundo as investigações, Ricardo teria utilizado o Lifesa para obter vantagens ilícitas. “Através do ingresso do então governador do estado, Ricardo Vieira Coutinho, na qualidade de sócio oculto do Lifesa, a Orcrim planejou inteligentemente a reestruturação do laboratório, com ludibriamento de parte do corpo gestor através de um falacioso plano de investimento, além de reversão de grande volume de dinheiro público para o aparelhamento do laboratório com o fito de exclusivamente trazer lucro privado aos denunciados”, diz a denúncia.

 

2 comentários

  • Paulo Oliveira
    10:06

    Ricardo ainda sonha em ser prefeito de JP novamente. E ataca o GAECO mesmo existindo gravações das conversas acertando propinas. Quer negar os seus crimes ?

  • Clóvis Carvalho
    10:06

    A colheita as vezes demora, mas as vezes vem mais rápido do que se imagina. Qual o interesse do Ministério Público em acusar alguém simplesmente por ser esposa de alguém ? Lógico que temos o direito do contra ponto, contanto que venha tbm com posturas e documentos comprobatórios.

Comentários