Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


Ainda vivas às mulheres, inclusive neste domingo da poesia

 

O 8 de março, instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas) como o Dia Internacional da Mulher, na prática é comemorado por todo este período mensal. E um exemplo dessa “comemoração  por todo  o mês” é/foi a “live” do sábado, dia 20, das 10h30 às 12h, denominada MULHERES QUE INSPIRAM, promovida pela APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração), em homenagem não só às suas nove acadêmicas (Luciana Rabay/presidente, Luciane Albuquerque/vice-presidente, Emanoela Toscano, Jaqueline Echeverria, Nilda Leone, Ozanira Maia, Rosa Gondim, Suellen Fabres e Tereza Renôr), mas a todo esse especialíssimo ser humano do sexo feminino.

Também como que para mais colorir o “mês de homenagem às mulheres”, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), em sua 30ª Conferência Geral, realizada em 1999, instituiu o 21 de março (que em 2021 coincide com este domingo) como o Dia Mundial da Poesia, tomando por referência a data de nascimento do imortal Carlos Drumond de Andrade (1902/1987), autor, entre tantos poemas, daquele que intitulou “Amar”… palavra inseparável do ser humano “mulher”!

Hoje, o hoje deste instante em que você lê estes escritos, em sequência às comemorações do Dia Internacional da Mulher, igualmente, de modo pessoal, sou instigado a fazer outras três homenagens especiais,  cujos nomes são: 1) Cláudia Carvalho, jornalista/editora deste Portal, ParlamentoPB, e competente apresentadora de programas jornalísticos em rádio e televisão; 2) Glaudenice Nunes, a principal assessora deste mesmo Portal, e que, ao lado de Cláudia, atua com eficiência e marcante prestatividade, contribuindo para que o ParlamentoPB constitua-se, mesmo, em um congresso do qual todos se interessam em participar; 3) minha filha Mariana, primogênita do casal Ana/Mário Tourinho, ela – Mariana – bacharela em direito e que, após experiências profissionais tão enriquecedoras junto ao Sebrae/PB e ao UNIPÊ, presentemente atua, com seu sempre empenho funcional, junto ao PROCON-JP (Mariana, antes de graduar-se em Direito, cursou alguns semestres de administração na UFPB; certa vez fui busca-la ao final das aulas e, ao adentrar no  carro, ela me perguntou: – “Painho, por que eu não tenho o sobrenome Tourinho, mas só o Almeida?”; antes de responder e justificar, eu é que questionei: – Por que esta pergunta?!… Ela esclareceu: – “É porque o professor de Teoria Geral da Administração deu toda aula dele, hoje, lendo um artigo seu… e eu, ´doida pra dizer´, inibi-me de informar, para envaidecimento meu,  que Mário Tourinho é o meu pai…”).

Mas, enfatizando esta homenagem e para ninguém dizer que não falei de poesia em referência e reverência à mulher e ao Dia Mundial da Poesia, devo registrar: – Ah, que ser humano tão extraordinário/ Este do gênero feminino!/ Quem queira dizer o contrário/ Fica ainda mais pequenino!/ Até Deus, ao criar o mundo/ Logo percebeu precisar completá-lo/ E em apenas um segundo/ Criou a mulher para alegrá-lo!

Afinal, à mulher, como dito pelo cantor/compositor Zeca Baleiro, também digo: – “Você nem precisa de salão de beleza/ Sua beleza já é maior do que a beleza de qualquer salão”!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.