Mário Tourinho

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal


Ainda sobre Cícero, a barreira do CB e o Grupo “Nossa Orla”

O artigo ao qual queremos nos referir teve por título  “A barreira do CB e a presteza e prestatividade de Cícero”. Muito repercutiu especialmente junto ao grupo (denominado e em defesa de) “Nossa Orla”, que é integrado por pessoenses (de nascimento e/ou de coração) realmente “amantes” da cidade de João Pessoa e obviamente atuantes em prol de sua crescente melhor qualidade de vida.

Como aquele artigo  até reproduziu uma declaração do prefeito Cícero Lucena sobre as providências que estão sendo adotadas pela Prefeitura para, de forma definitiva e não paliativa, colocar um ponto final em relação aos riscos de desmoronamentos na barreira do Cabo Branco e houve manifestações de preocupação especialmente porque tais providências não estariam considerando a “urgência exigível ao caso”, voltamos ao assunto. E o fazemos com o que disse um dos integrantes do “Nossa Orla”:

– “Com as chuvas torrenciais a drenagem é imprescindível e urgente. Se for esperar pela execução do projeto o prejuízo será gigantesco. A prudência aconselha providências simples, que custam pouco, como desviar as águas da chuva para não caírem diretamente da barreira, escavacando-a”.

Desse grupo “Nossa Orla” também fazem parte técnicos que militam na área da geologia e inclusive chamam a atenção para aspectos relativos ao que denominam de EIA (Estudos de Impacto Ambiental), certamente levados em conta pela equipe da PMJP. Mas, não podemos deixar de aqui sugerir que a PMJP “abra espaço” e convide o grupo “Nossa Orla” para uma reunião sobre este assunto.

De nossa parte e reiterando confiança na presteza e prestatividade de Cícero, cremos que desta vez a questão da barreira do Cabo Branco será resolvida. Não pode mais demorar! Sobre ela, já  em 1982, o imortal jornalista (que está nos céus) Nathanael Alves escreveu crônica publicada no então existente jornal O Norte.

Na gestão de Ricardo Coutinho, prefeito de janeiro/2005 a março/2010, tanto a questão da barreira do CB foi tratada que parecia que teria uma solução. Não aconteceu.

Na gestão Luciano Agra mais pertinho pareceu. Também não aconteceu.

Com o outro Luciano, Luciano Cartaxo, idem idem.

Agora Cícero Lucena, que já esteve como prefeito de 1997 a 2004, tem outra oportunidade de, como gestor municipal, resolver essa questão da barreira do CB, de tanta preocupação e envolvimento de tanta gente!

Cabe que aqui lembremos ter participado de algumas sessões, ao estilo audiência pública, em nossas Casas Legislativas:

– Uma delas em abril de 2014, na Câmara Municipal, na qual o então secretário da SEPLAN-JP, Rômulo Polari, disse que “Não podemos ficar só olhando a barreira do Cabo Branco desmoronar-se”. E pelo vereador Lucas de Brito foi enfatizado: “É importante que salvemos este patrimônio geográfico, histórico e cultural”;

– Em uma outra sessão na mesma Câmara Municipal, em abril de 2016, o vereador Bruno Farias destacou: – “O importante não é encontramos culpados para esse problema que se arrasta há muitos anos, mas saber como andam as ações e como podemos ajudar”.

– Em maio de 2018, na Assembleia Legislativa, em audiência pública proposta pelo deputado Ricardo Barbosa, ficou explícito que “O estado também está disposto a participar, até financeiramente, para que, republicanamente, salvemos tão referencial local turístico que também corresponde ao ponto mais oriental das Américas”.

Nosso pensar é o de que o prefeito Cícero Lucena, com presteza e prestatividade, tudo fará para que esta sua gestão propicie a adequada solução para esta cinquentenária questão da barreira do Cabo Branco!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.