Aguiar garante que Cláudio Lima e Mário Toscano ficam no Governo

O secretário-chefe do Governo de Ricardo Coutinho (PSB), Walter Aguiar (PT)disse hoje que as mudanças no secretariado escolhido pelo governo não devem ser motivo de preocupação, pois esse procedimento é normal em todas as administrações, inclusive nas prefeituras.  Ele acrescentou que a saída de Fernando Abath da secretaria de educação foi uma decisão consensual.
 
– Foi algo natural. Em qualquer governo isso acontece. Governadores, prefeitos, todos trocam de secretários, é natural. Abath e o governador dialogaram e depois de apresentarem seus motivos chegaram a um acordo consensual – disse ele.
 
Walter desmentiu comentários de que a saída de Fernando Abath teria sido por discordar dos critérios utilizados pela nova administração (exonerações e admissões por influência política). Ele disse ainda que rumores sobre afastamento dos secretários de Segurança e da Saúde também não teriam procedência.
 
– Abath se afastou por motivos de saúde e isso já foi anunciado. Quanto aos secretários de Saúde e Segurança pública, eles não vão sair. Os dois realizam trabalhos gigantescos e de grande importância para a Paraíba, mas são vítimas de boatos por estarem à frente de secretarias importantes e áreas com problemas delicados e com grandes dificuldades, por isso surgem boatos.
 
Sobre seus colegas petistas, ele disse tê-los procurado em dezembro para uma possível negociação, mas não obteve êxito. O Chefe do governo pediu paciência, alegando que 45 dias seriam insuficientes para implementar as mudanças necessárias ao Estado.
 
– Eu procurei a bancada em dezembro, antes mesmo das reuniões e não fui feliz. Eu nunca vi uma bancada fazer tanta oposição. É o primeiro partido a fazer esse tipo de oposição. Eles dizem ser independentes, mas não são. Eu não queria trégua, queria bom senso. Para um governo, 45 dias é pouco tempo.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.