Advogado desqualifica vereador e diz que suposta ameaça é loucura

O advogado Remígio Júnior, assessor jurídico da prefeitura de Piancó, negou hoje a procedência das denúncias feitas pelo vereador Antônio de Pádua Leite (PT). O parlamentar disse ontem no programa Hora da Notícia, da Arapuan FM, que teria recebido ameaças de morte por parte do próprio Remígio, da prefeita Flávia Galdino e do filho dela, Daniel. Segundo o advogado, as queixas não são novidade e já viraram motivo de processo:

– A prefeita e o filho dela decidiram processar o vereador por causa dessas denúncias que ele tem feito nos veículos de comunicação da Paraíba. Ele responde a dois processos movidos pela prefeita e pelo filho, por calúnia e difamação. Mas, não são somente esses. Ele tem uns 30 processos pelo mesmo motivo. Ele é desequilibrado. Precisa de uma vaga para tratamento no CAPS e eu posso conseguir – ironizou.

Remígio comentou especificamente a queixa feita por Pádua sobre a sessão da Câmara Municipal de Piancó na última quinta-feira, quando o vereador denunciou que a sede do legislativo teria sido invadida por cerca de 20 homens sob o comando de Daniel Galdino, filho da prefeita.

– Não houve invasão nenhuma. Eu fui a Câmara porque sou assessor jurídico da Prefeitura e sempre acompanho as sessões nas quais há projetos de interesse da administração municipal. Naquela ocasião, dois vetos da prefeita estavam em pauta e eu, como ex-vereador, fui convidado pelo presidente da Câmara, a acompanhar os trabalhos no plenário,  mas recusei e fiquei nas galerias. Quando acabou a sessão, Pádua foi à tribuna e me chamou para brigar, dizendo que não tinha medo de mim. Eu fui provocado e não deixei sem resposta. Diante disso, ele quis chamar a polícia e disse que estava sendo ameaçado. O que existe é uma provocação que ele repete há um ano e meio. Ele tem um distúrbio mental e quer aparecer. Eu normalmente não dou resposta a ele, porque acho que não merece. Só resolvi falar porque foi para o Parlamentopb.

Ainda de acordo com Remígio Júnior, o vereador petista terá uma audiência no próximo mês para tentar provar as denúncias de morte que alega existir contra ele vindas da prefeita, do filho e do assessor jurídico da Prefeitura:

– Ele nunca provou nada porque não existe o que ser provado. O vereador ainda se queixa de que a Justiça é lenta, mas essa lentidão tem beneficiado ele. Se os processos fossem rápidos, ele já teria perdido o mandato – arrematou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.