Dom Manoel Delson

Dom Manoel Delson cursou Filosofia e Teologia em Nova Veneza (SP) e no Instituto de Teologia da Universidade Católica de Salvador (BA). É licenciado em Letras e tem Mestrado em Ciência da Comunicação Social, em Roma, na Pontifícia Universidade Salesiana. É Arcebispo da Paraíba.


Advento, tempo de purificar a esperança

 

O Advento é o tempo litúrgico da Igreja que nos prepara para o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. Preparamos nossos corações para receber Aquele que aproxima a esperança e a alegria ao mundo. Para os cristãos, “O único Deus verdadeiro, o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó, não é um Deus que está no céu, desinteressando-nos por nós e pela nossa história, mas é o Deus-que-vem” (Papa Emérito Bento XVI). Toda chegada de algo especial requer um tempo de preparação. E para a Igreja, preparar o coração é o mesmo que deixar-se purificar. O Advento, além da finalidade de preparação, também serve para “purificar a esperança”, como fortemente nos ensina o Papa Francisco em suas homilias de advento.

Quantos desafios vivemos ao longo deste ano de pandemia, quantas partidas inesperadas de quem amamos, sem pudermos ao menos nos despedir. Onde podemos ver a mão purificadora de Deus em tudo isso? Umas das mais belas lições do Advento consiste na redescoberta de uma esperança não vaga nem vã, mas confiante. Afinal, cremos que nossa vida, e não importa o que nos aconteça, está firmemente ancorada em Deus. A mão de Deus nos acompanha, ainda que estejamos passando pelos vales tenebrosos da vida. Essa redescoberta exige um espirito de sacrifício e renúncia. Exige-nos a disposição generosa do coração. Deus, feito homem, será mais uma vez posto na manjedoura de nosso coração e não devemos receber esse presente de qualquer forma. O Advento vai nos preparar para recebê-Lo com esperança purificada e renovada.

Quando falta Deus, falta a esperança! Façamos desse tempo de preparação um lugar de esperança. Não percamos as oportunidades que a Igreja nos oferece para fazer crescer e purificar a esperança: missa, meditação da Palavra de Deus, oração do terço, novena de preparação para o Natal, dentre outras práticas de piedade. Com Nossa Senhora, especialmente neste tempo de preparação para o Natal do Senhor, aprendemos a acolher essa esperança purificadora. Ela nos ensina a constante reescolha de Deus, do essencial em nossas vidas. Dela, nosso coração também aprende a firmeza necessária de quem não se abala diante dos desafios da vida.

Que este Advento, ainda que estejamos balançados pelas incertezas provocadas pela pandemia, nos seja um propicio tempo para colocar nossa mão filial na Mão paterna de Deus. Não tenhamos medo! O Senhor, que nunca abandona seu povo, nos consola e renova a esperança do coração.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.