Abraham Lincoln é o novo presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba

O Tribunal de Justiça da Paraíba escolheu sua nova Mesa Diretora para o biênio 2011/2012. A eleição secreta aconteceu na sessão extraordinária realizada na manhã desta quarta-feira (3). Por unanimidade, o desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos assume a Presidência do TJPB a partir do dia 1º de fevereiro do próximo ano. Para a vice-presidência foi eleito o desembargador Leôncio Teixeira Câmara e para corregedor-geral da Justiça, o desembargador Nilo Luis Ramalho Vieira, também à unanimidade.

Durante a sessão, também ficaram definidos os desembargadores para compor o Conselho da Magistratura e seus suplentes, como ainda o diretor da Escola Superior da Magistratura (Esma). Como membros titulares do Conselho, o Pleno escolheu Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti, Arnóbio Alves Teodósio e João Benedito da Silva, e como suplentes, João Alves da Silva, Fred Coutinho e José Ricardo Porto. Para a Diretoria da Esma, o desembargador eleito foi Saulo Henriques de Sá e Benevides.

“Quero parabenizar os magistrados eleitos por unanimidade. Tenho certeza que farão um trabalho de extremo sucesso em todos os ângulos da administração pública. Estou, sinceramente, muito feliz pelas escolhas deste Tribunal. Sei da capacidade de cada um”, ressaltou o atual presidente do TJ, desembargador Luiz Silvio Ramalho Júnior.

O futuro presidente do Tribunal, logo após a eleição, falou de algumas de suas prioridades. Depois de agradecer a Deus, aos seus pares e familiares, Abraham Lincoln afirmou que vai valorizar os servidores e juízes de primeiro grau. “Vou fazer uma gestão aberta, transparente e ouvindo as reclamações de nossos servidores e magistrados de primeira instância. Não será uma tarefa fácil dirigir este Tribunal com o orçamento que temos, mas farei de tudo para garantir uma remuneração digna aos nossos servidores e melhores condições de trabalho para os juízes. Tudo para garantir uma prestação jurisdicional mais célere e eficaz”.

Lincoln ainda adiantou que em 2011, ano em que o Tribunal completa 120 anos, será de muita festividades e homenagens a esta data. “Vamos criar um comissão específica para tratar de toda a programação no decorrer do ano. Quero marcar os 120 anos do Tribunal de Justiça”.

O próximo vice-presidente também expressou sua satisfação em poder ter galgado ao cargo. “É, na verdade, uma grande honra chegar a um posto de tamanha responsabilidade no Judiciário estadual. Quero trabalhar auxiliando o presidente em toda a sua administração. Para mim é honra poder fazer parte de uma Mesa Diretora que vai fortalecer, ainda mais, a dignidade e grandeza deste Poder”, acrescentou Leôncio Teixeira Câmara.

Nilo Ramalho, que será o corregedor-geral no biênio seguinte, destacou que “a Corregedoria é de extrema importância para o bom funcionamento do Tribunal de Justiça, como órgão de fiscalização e orientação dos juízes. Quero firmar uma forte parceria com a Escola Superior da Magistratura, como a finalidade de capacitar os juízes e servidores. Vamos trabalhar de mãos dadas”.

Esma – Saulo Henriques de Sá e Benevides terá dois anos à frente da Escola Superior da Magistratura, braço acadêmico do Tribunal. O desembargador adiantou algumas de suas metas. Ele agradeceu pela votação unânime e, em especial, ao desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, que renunciou seu direito de ser reeleito para o cargo. “Quero continuar o trabalho moderno e dinâmico que vem sendo desenvolvido na Escola. Vou lutar para instituir o Ensino a Distância, como forma de capacitar servidores e magistrados, como também criar um curso de mestrado, em parceria com uma instituição de ensino superior com reconhecida experiência nessa área.”

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.