Início Contato Editorial
ParlamentoPB







Cheque especial: Herói ou Vilão?
 
Você conhece o produto cheque especial dos bancos? Utiliza? Ou melhor, sabe utilizar?
 
Basicamente, o popular cheque especial é um produto fornecido pelos bancos, mediante contrato prévio e limite estabelecido entre as partes, onde fica disponível na sua conta um valor que pode ser utilizado a qualquer momento quando a conta de depósitos (em geral conta corrente) não possui saldo suficiente.
Praticamente todos os bancos disponibilizam limite de cheque especial logo na abertura da conta.
 
É muito comum ouvirmos falar que o cheque especial é o grande responsável pelo descontrole financeiro de alguns, que as taxas de juros são abusivas e coisas do tipo.
 
Meu objetivo aqui não é construir ou desconstruir conceitos, mas esclarecer alguns pontos e incentivar a reflexão.
 
Nosso primeiro ponto de conversa é sobre a real necessidade de limite de cheque especial nas nossas contas e das nossas empresas.
 
A parte óbvia aqui é imaginar que quem precisa ter uma segurança em caso de eventuais necessidades e não possui reservas financeiras precisa ter um limite de cheque especial.
 
Imagine-se na situação de ter que comprar um medicamento com urgência para um filho, por exemplo, e perceber que não possui saldo suficiente na conta corrente. O jeito é apelar para o cheque especial.
Alguns dirão: “Eu não preciso de cheque especial, nunca utilizei um centavo!”
 
Acredito verdadeiramente que todos nós precisamos de um limite de cheque especial, mesmo os que não se utilizam do limite. Eis os meus motivos:
 
 1. Com uma leitura simples no que está escrito no seu talão de cheques é fácil perceber se você tem limite na conta ou não e O MERCADO NÃO ACEITA BEM CHEQUES “COMUNS”. 
 
2. Mesmo com taxas altas de juros, caso você precise de uma quantia emergencial para devolver em um ou dois dias, pode ser mais lucrativo utilizar o limite do cheque especial do que retirar da sua aplicação. HÁ APLICAÇÕES EM QUE AO SACAR, PERDE-SE O RENDIMENTO DO MÊS INTEIRO, como a poupança, por exemplo. 
 
3. Em geral, os bancos disponibilizam menores taxas de empréstimo, maiores taxas de investimentos, descontos em anuidades e tarifas, para clientes “especiais” motivo pelo qual O SEU LIMITE DE CHEQUE ESPECIAL PODE TE RENDER BONS NEGÓCIOS. 
 
É simples, você se torna cliente especial do banco e o banco te oferece melhores produtos e taxas. Tudo não passa de estatística, o banco sabe que os que utilizam seus limites dão mais lucro ao banco, mas nós seremos exceções e só iremos utilizar o cheque especial em último caso, certo? 
 
Sobre a utilização do limite, costumo orientar meus clientes pessoas-físicas a só utilizá-lo em caso de urgência máxima e a cobrir o limite o mais rápido possível. A regra é simples, se existe opção mais barata (mesmo que seja pedir emprestado a um membro da família), use-a. Caso contrário, moderação, CUIDADO! E NUNCA UTILIZE SEU LIMITE DE CHEQUE ESPECIAL COMO SE FOSSE SALÁRIO! NUNCA MESMO!
 
Às empresas, o raciocínio é análogo, apareceu um negócio que demanda recurso na sexta-feira e o dinheiro só aparece na segunda? Use, mas cubra o mais rápido possível. E, principalmente, CHEQUE ESPECIAL NÃO É CAPITAL DE GIRO. O dinheiro do banco serve primordialmente para ajudar a empresa a ampliar seu negócio e faturar mais. É este o caso? A oportunidade de negócio é mesmo imperdível? Pense e repense e só utilize caso saiba exatamente o que está fazendo.
 
Outro fato relevante é a altíssima taxa de juros do produto. Em geral, não há outra opção de crédito mais cara nos grandes bancos. É exatamente por isso que a utilização deve ser moderada, ou melhor, evitada.
 
Mas é fato também que as taxas entre um banco e outro variam bastante. Vejam pesquisa abaixo, do PROCON-SP, que pesquisou as taxas de juros dos principais bancos:

Para maiores informações, veja link da publicação: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/11/taxa-de-juros-do-cheque-especial-passa-de-180-em-um-ano-compare.htm
 
Aqui, a reflexão, independente de qual seja o seu banco. Lembre-se sempre que a escolha é individual. Até que ponto vale a pena pagar mais? Quais os produtos que seu banco te oferece como vantagem que justifique pagar um pouco (ou muito) mais de juros?
 
Vejamos um exemplo: Imagine que você utiliza seu limite de cheque especial (R$ 100,00 – cem reais - apenas, neste exemplo) e, por um motivo ou por outro, você passa 36 meses sem cobrir a conta. Sem levarmos em conta as eventuais tarifas, daqui a três anos, quando você for ao seu banco, estará devendo um valor muito próximo ao do gráfico abaixo, a depender do banco que você contratou:
 
Assustado? A ideia é exatamente essa. Mantenha-se longe dos juros! Queremos fazer a roda da fortuna girar a nosso favor, nunca contra, lembra?
 
Mais algumas considerações: Nunca culpe o seu cheque especial pelo seu descontrole financeiro! O descontrole é seu, e suas finanças dependem da forma como as administra. 
Cheque especial é um produto bancário que, se utilizado de forma adequada, não irá te causar grandes dores de cabeça.
 
E ainda, se você já está endividado por causa do cheque especial, procure o seu banco, liquide seu limite contratando um empréstimo parcelado com a menor taxa de juros possível (a taxa do parcelado é sempre menor que a do cheque especial) e somente após conseguir pagar este empréstimo, após refletir bastante e mudar sua forma de lidar com os limites que o banco disponibiliza para você, pense novamente em ter um limite de cheque especial.
 
Até a próxima!
 
Emannuel Dymas de Andrade Campos
Gerente de banco e Consultor Financeiro
emannueldymas@gmail.com
http://twitter.com/emannueldymas 
http://fb.me/emannueldymas






    Imprimir

 
Outros textos