Início Contato Editorial
ParlamentoPB







Alimentos Saudáveis: quem conhece, compra
 
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) os brasileiros consomem um galão de 5 litros agrotóxicos, desde 2008 somos o primeiro lugar no consumo de agrotóxicos. De acordo com Anvisa, mais da metade dos agrotóxicos usados no Brasil hoje são banidos em países da União Europeia e nos Estados Unidos. E que dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que nos países em desenvolvimento, os agrotóxicos causam, anualmente, 70.000 intoxicações agudas e crônicas. Muitos problemas para saúde do nosso povo.
 
Na sexta-feira passada estava na feira agroecológica de Remígio, onde fui fazer um café/almoço com cardápio de galinha de capoeira com macaxeira, batata doce, arroz e farofa d´água. Muito bom! Vale a pena conhecer. Na oportunidade participei de conversas sobre os diversos temas, mas tiveram duas que me chamaram a atenção. Na primeira conversa Dona Maria que faz a galinha mais gostosa da região disse que o dono de um dos supermercados da cidade vinha todas sextas comprar goma de mandioca para fazer tapioca, mesmo vendendo o produto no seu estabelecimento. A maioria da goma do supermercado possui uma quantidade de conservantes que aumenta o tempo de prateleiras e que tem a qualidade péssima, e com um forte cheiro de formol. Conclusão: Comprava para comer e não comia o que vendia. Na outra conversa foi sobre uma pessoa estudada que trabalha numa farmácia que sempre vinha a feira comprar produtos sem venenos. E que ela falava os casos de pessoas que chegava atrás de remédios para tentar se livrar dos danos pelos venenos, não eram poucos casos. E que preferia acorda cedo para vir a feira orgânica do que corre o risco de ficar contaminada. São duas conversas com realidades parecidas. Provavelmente você tenha a sua história ou escutou várias histórias com esse mesmo enredo. Quem conhece os produtos de qualidade não pensa duas vezes, compra produtos agroecológicos ou orgânicos. Mas ainda é um problema o acesso as feiras da agricultura familiar e da reforma agrária. No entanto a cada dia mais gente discute a temática, temos blogs, sites e páginas que abordam a produção e consumo de alimentos saudáveis.
 
Conhecer quem produz é um caminho rápido para o acesso aos alimentos saudáveis. Outro caminho é entrar em contatos com as instituições que prestam assistência técnica rural aos produtores. Podemos citar o exemplo da Emater PB que é uma empresa pública e também de organizações da sociedade civil como: PATAC, ASPTA, Arribaçã, CAAASP, Cooptera, Xique-Xique, Vinculus, Agemte, COONAP e outras mais. A Paraíba possui uma rede de feiras da agricultura familiar e da reforma agrária que mostra o trabalho da nossa agricultura familiar, no entanto ainda é muito pequena para demanda existente por alimentos saudáveis. Bater nesta tecla da produção de alimentos saudáveis é motivadora, visto os benefícios para a saúde das pessoas, o incremento de renda para os agricultores e o cuidado da nossa mãe terra. 



Marenilson Batista
Marenilson Batista é Engenheiro Agrônomo, Mestre em Fitotecnia. Pesquisador da Embrapa. Foi Diretor Departamento de Assistência técnica e Extensão Rural do Ministério do desenvolvimento Agrário, Secretário de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca/PB e Delegado Federal do MDA|PB. Trabalhos desenvolvidos na Agricultura Familiar, Reforma Agrária, produção de Alimentos Saudáveis, Territórios Rurais, Assistência Técnica e Extensão Rural e gestão de políticas públicas.


    Imprimir

 
Outros textos