Início Contato Editorial
ParlamentoPB







Eu quero um País Budista
 
Você se assustou ao ler o título? Se sim, então você apresentou a mesma reação que eu tive ao ler essa notícia {http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2015-11-04/bancada-evangelica-aprova-pec-que-da-a-igreja-poder-de-questionar-supremo.html}. Na verdade, não quero um País budista, quero um país Laico. Pois sei que viver ao redor da pluralidade de conceitos, crenças e atitudes, provavelmente, irão transformar o ser humano em um sujeito apto a lidar com as diferenças e complexidades da vida!
 
Segundo o censo do IBGE de 2010, mais de 86% dos brasileiros se consideram cristãos, algo natural, pois nosso país foi colonizado por cristãos e é a religião mais influente do mundo ocidental. Mas a nossa constituição não foi feita para a maioria dos brasileiros, ela foi escrita para TODOS os brasileiros, inclusive aqueles que não tinham a mesma religião dos autores da constituição.
 
Não deveríamos ter “bancadas religiosas” no cenário político nacional, nem bancadas de interesse quase individuais. Quando os nossos representantes misturam crenças individuais com política, então temos uma boa receita para a formação de “bancadas cegas”. Os servidores públicos eleitos pelo povo, em muitos casos, esquecem que seus trabalhos devem ser guiados pelos princípios da constituição brasileira, onde TODOS têm os mesmo direitos, independente da sua condição econômica, raça, credo, sexo, e assim por diante.
 
Quando todas as religiões, em suas várias formas, forem respeitadas e valorizadas como cultura e parte do nosso povo, então teremos o real país laico. Infelizmente nossa constituição está sofrendo com políticos péssimos, sem compromisso com a população, onde seu único dever é agradar aqueles que lhe convém.  
 
Se começarmos a ver mais e mais leis que privilegiam um grupo religioso, com certeza, todos vão perder. Os países com altos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) são laicos, ai você pode me perguntar: qual a relação entre religião e IDH? E eu respondo com prazer, a religião das pessoas não tem grande conexão com o IDH, mas o respeito diante das religiões diferentes faz toda a diferença no IDH.
 
Quem respeita e valoriza as diferenças religiosas, tem maiores chances de se desenvolver como ser humano e, consequentemente, como sociedade. Tal como já falei no texto sobre diversidade, que pode ser lido aqui mesmo no campo abaixo “outros textos”, as idéias e crenças divergentes nos ajudam a enxergar outros pontos de vista. De tal modo a uma idéia complementar a outra, uma fé abraçar outra, uma religião conviver pacificamente com outra. É assim que formaremos a “bancada do desenvolvimento nacional”, essa sim uma bancada política importante!



André Memória
Psicólogo Clínico, Palestrante e eterno estudioso do comportamento humano. Escreve para o blog de relacionamento Mete a Colher e divulga vídeos e textos sobre promoção de saúde e no seu perfil do facebook. Contatos disponíveis para os leitores: E-mail: andrememoria@hotmail.com Perfil do Facebook: https://www.facebook.com/andre.memoria


    Imprimir

 
Outros textos